sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Fotos e Impresões!!



Frase de Che en Alta Gracia!






Galera!!







Toda vez que entro no blog para ver e atualizar sinto muita saudade da nossa Terrinha e das pessoas que vivem por ai! E quando vejo os comentários de amigos, familiares e das pessoas que conhecemos durante a viagem, sinto que ganhamos mais força para continuar nossa odisséia, se é que podemos dizer assim.


Gostaria de contar uma coisa que tenho utilizado para aguentar aquelas subidas longas e duras, aquelas estradas infinitas, aquelas horas em que parece que a bicicleta não anda; tenho usado de uma técnica que meu pai utiliza quando esta correndo (depois que o velhinho aposentou, virou corredor !! ehh saudade das mesmas histórias que ele repete de 20 em 20 minutos quando tem alguma visita em casa). Enfim, o velhinho divide a distância em vários tramos e dedica cada um para uma pessoa que gosta. Tenho praticado essa técnica e tem funcionado!


Queria dedicar esse texto a todas as pessoas que tem cruzado nosso caminho. Não acredito muito em sorte, mas tenho que confessar que se ela existe, está conosco! Resumindo os momentos mais sortudos da viagem, temos:


Primeiro, ao chegar ao Chuy encontramos Pascal, que nos deixou em sua casa e nos ajudou como podia!





Pelado Perez

Nacho e Frederico - Filhos do Pelado
Filhos do Pelado que seguem com a paixão pelo ciclismo

Depois, ecnontramos o Careca ou ¨EL PELADO¨ Perez no dia em que iriamos dormir na praça de DEVOTO, e nos tirou desse perrengue (Apesar de ter autorização da Policia para dormir na praça). Na casa do Pelado foi incrivel, uma pessoa com um coraçao grande e uma família bonita, e além de nos ajudar com a nossa rota, se isso parece sorte, leia agora o que irei contar e tire suas conclusões. O kra (Pelado) conhece muitos ciclistas da argentina, ganhou o prêmio de melhor organizador de Corridas de Ciclismo da Argentina (alguma coisa assim). E ai nos deu cartões com mensagens para entregarmos aos seus amigos das cidades que iremos passar!! Não acredito, falamos até na rádio!!hehehehe.







Bombeiros de Arroyito






Depois, Pelado deu uma dica para dormirmos nos Bombeiros de Arroyito uma cidade há uns 80 km. Então falamos que éramos amigos de Sebastián, um cicloturista de Alta Gracia, que recentemente dormiu lá, e conseguimos lugar. Isso ainda eram coinscidências de ter cruzado com Pelado (Careca), mas ai que a palavra sorte ou ¨suerte¨que nos desejavam por todo lado que passávamos, estavam fazendo efeito. Armamos a barraca no pátio dos Bombeiros, estava um calor insuportável, então deixamos a lona da barraca aberta. De repente, chega destruitivamente uma tempestade de vento. Ai que entra a sorte de novo. Quando estou tentando acordar o Vitor para fechar a lona do lado dele, chega um bombeiro e fala ¨Vai, pega todas as coisas e coloquem na cozinha¨ Nisso começa a barraca querer voar, seguravamos como dava! Chegou mais bombeiros e ajudou a tirar tudo de lá, o bixo pegou galera. E ai depois, arrumamos tudo, tomamos um mate quente e ai ficamos conversando com os bombeiros. Que também nos recebeu muito bem, não sei como seria no Brasil essa situação. E então, como não havia nada para fazer, os Bombeiros testaram um procedimento de imobilização em uma maca e ficavam deixando agente na de ponta -cabeça. E depois de um tempos, estávamos dormindo na cozinha dos Galpão, perto dos carros gigantes para apagar fogo, da para acreditar nisso ?







No outro dia, chegamos em Villa del Rosario, o homem do camping cobrou 10 pesos mais barato, sem agente pedir desconto, sinto que as pessoas queriam nos ajudar. Isso é muito bom!











Chegamos em Alta Gracia, e por consequencia dos cartões de Pelado Peres, fomos falar com um homem que vive em frente ao Museo do Che . O homem é o Professor Rully, foi campeão de Triathlon na Argentina, nos ajudou muito. Nos ofereceu café, nos deu maltodextrina, tirou uma folga que tinha no garfo da bicicleta, arrumou um lugar seguro para dormirmos e nos disse: ¨Se precisar de algo, sabe para onde correr ?¨ . Muita sorte, já começo a acreditar na existência desse termo, ou será que é assim porque estamos no perrengue, mas temos boas intenções, como um amigo meu fala ( o Famoso Gordo, Leonardo Massaguer). Isso ocorre porque nós somos ¨menino bão¨, não queremos nada além de pedalar um pouquinho, conhecer pessoas e diferentes modos de vida .



Chegamos em Mina Clavero e daqui vamos rumo a Mendoza! Que a cordilheira nos aguarde. Já temos a indicaçao de Rodrigo para passar numa casa de um senhor que vive por lá !! Vamos tentar.Agora uma frase que acho muito interessante, que descreve a atitude das pessoas que nos ajudaram.





¨Se chove e tenho guarda-chuva, compartilho-o



Se não, compartilho a chuva¨

3 comentários:

  1. Forçaaaaaaaaaaaaaaa!
    Firmeza!

    Abraços mil,

    Sockratikus

    ResponderExcluir
  2. leonardo massaguer24 de junho de 2010 00:52

    nóis eh nêgo bom!!! mano! hehhe

    da-le

    abrs

    ResponderExcluir